etep_faculdades_1

Alunos da Etep reclamam de supostas irregularidades 

Reprodução/Google Imagens

 

O Ministério Público apura denúncias de supostas irregularidades contra o Grupo Cetec Educacional, responsável pelas faculdades Etep e Bilac, ambas em São José dos Campos. A 6ª Promotoria de Defesa do Consumidor abriu um procedimento preparatório de inquérito após receber informações de que a empresa estaria praticando irregularidades em relação à grade de aulas dos universitários.

Caso sejam encontrados indícios de irregularidades, o MP poderá instaurar inquérito civil contra o grupo. O procedimento foi aberto pelo promotor Fernando Alvarez Belaz. 

Por meio de nota, o Grupo Cetec informou que não recebeu nenhuma notificação do Ministério Público e que se coloca à disposição para fornecer qualquer informação de interesse público.

Queixas

Conforme noticiado pelo Meon, em reportagens publicadas desde agosto de 2018, alunos das faculdades Etep e Bilac enfrentam dificuldades em relação à grade curricular. Os estudantes afirmam que têm matérias repetidas, irregularidades em horários de aulas e disciplinas a distância.  

Os problemas, segundo universitários entrevistados pelo Meon, teriam iniciado quando o Grupo Cetec alterou o método trimestral para semestral, entre 2016 e 2017, nas duas faculdades.

Após protestos dos alunos devido às mudanças, houve intermediações do Procon, que acabou resultando em um TAC (Termo de Ajustamento de Conduta) assinado pelo Cetec, que se comprometeu a resolver os problemas. As reclamações, no entanto, continuaram.

Nos diversos questionamentos feitos pelo Meon, desde agosto, o Grupo Cetec sempre disse estar aberto ao diálogo e à disposição para atender as demandas dos estudantes. 

Leia também:

Alunos da Etep Faculdade protestam contra mudanças em currículo de cursos 

Faculdade Etep descumpre acordo firmado em 2018 e revolta estudantes

Estudante da Bilac diz cursar matérias repetidas e teme atraso em conclusão de curso