portinari_1

A exposição, que recebeu mais de 50.000 visitantes por Recife, Salvador, Curitiba e Rio de Janeiro, percorre unidades do Sesi-SP no interior, como agora, em São José

Divulgação

No sábado (25), será inaugurada a “Portinari – A construção de uma obra”, mostra que reúne 20 estudos e maquetes de obras do pintor, muralista e desenhista, que conquistou reconhecimento internacional retratando o cotidiano e a desigualdade do Brasil.

Fazem parte da montagem esculturas criadas pelo artista plástico Sérgio Campos, que reproduzem personagens de importantes obras de Portinari. As obras ficarão expostas na unidade até o dia 26 de julho. A visitação é gratuita e pode ser feita de terça a sábado, das 9h às 20h, exceto feriados.

Artistas

Sérgio Campos é membro da família do pintor, finalizou o planejamento do próprio artista plástico, que queria transformar suas figuras em esculturas.

Com curadoria de Luiz Fernando Dannemann, a exposição, que recebeu mais de 50.000 visitantes por Recife, Salvador, Curitiba e Rio de Janeiro, percorre unidades do Sesi-SP no interior, no projeto Espaço Galeria. Segundo Dannemann, "é uma exposição específica da construção da obra de Portinari, que mostra estudos, esboços e desenhos de grandes obras do artista", comenta o curador. Entre as obras, estão os estudos para o painel Guerra e Paz, que Portinari criou para a sede da ONU, em Nova York, entre 1952 e 1956.

“Portinari era um cronista que, ao invés de escrever, pintava as desigualdades, as efemérides", comenta o curador. “Os Retirantes é a realidade do Brasil, pessoas que iam para as grandes cidades buscando melhores oportunidades. E muitas dessas obras continuam atuais, a crítica, a crônica, porque ainda vivemos em um país de desigualdade social”.

Artistas

O artista Candido Portinari nasceu em 30 de dezembro de 1903, em Brodowski, interior de São Paulo. Filho de imigrantes italianos, teve uma infância humilde e recebeu apenas a instrução primária. Desde criança manifestou sua vocação artística, começando a pintar aos nove anos.

Estudou na Escola de Belas-Artes do Rio de Janeiro e visitou países como a França e a Itália, onde concluiu os estudos. Em 1935, recebeu em Nova York um prêmio por sua obra “Café”, que o projetou para o mundo. Faleceu em 1962, tendo como causa aparente uma intoxicação causada pela química presente nas tintas.

Sergio Campos, membro da família do pintor,. A mostra contém oito trabalhos, revelando uma tridimensionalidade da visão de Portinari. Formado pela Escola de Belas Artes da UFMG, Sergio Campos é desenhista, pintor e escultor. Criou técnica para construção de esculturas em aço e cobre e executou monumentos públicos de grande porte. Estudou pintura mural e escultura em bronze com o italiano Franco Cerri.

 

Serviço

Portinari – A construção de uma obra

Data: de sábado (25/5) até 26 de julho, das 9h às 20h, exceto feriados

Local: Sesi São José dos Campos, avenida Cidade Jardim, 4389, Bosque dos Eucaliptos, São José dos Campos