A história da publicidade é contada a partir da antiguidade, época que se estende desde a invenção da escrita (4.000 a.C a 3.500 a.C até a queda do Império Romano), se consolidando na forma como hoje se apresenta a partir da Revolução Francesa (1789).

No início, em Pompeia, a publicidade realizava-se na transmissão oral por homens que eram conhecidos como pregoeiros, que saiam às ruas para apregoar a toda a comunidade uma série de mensagens e notícias, como a convocação para certos eventos ou acontecimentos. Também na civilização grega e egípcia se começou a adotar esta prática. Os pregoeiros usavam ainda a técnica de pintar em muros e rochas para propagarem a sua mensagem.

Este foi um formato mantido ao longo dos séculos e a partir de 1482 se tem notícias da utilização de folhetos na publicação de manifestação religiosa em Paris, na França. Contudo, apenas em 1625 surgiu o primeiro anúncio publicitário, neste caso com a intenção de promover um livro e alguns anos mais tarde aparecem os primeiros anúncios

A magia contida nesse conceito é o de “falar” com palavras, imagens ou sons, na busca de uma atitude dinâmica positiva. Assim se constrói a reputação de uma marca e identifica-se um produto, fazendo a difusão de ideias que se materializam através de um significado no consumo.

Em resumo, a publicidade é essencial na cadeia que se inicia com a ideia e se conclui com o consumo.

Para atingir o objetivo proposto, a publicidade envolve em série de atividades como planejamento, criação, produção e veiculação de peças publicitárias.

E a criatividade do homem é infinita, nos fascina, alegra e deixa a marca da marca.

Aproveite esse belo anúncio feito pela Pepsi que reflete o valor deste conceito.