Praia na Ilha Anchieta

Praia na Ilha Anchieta

Divulgação/GESP

Para as férias deste fim de ano ou para passeios curtos nos finais de semana, a trilhas ecológicas são uma excelente opção para os moradores da RM Vale (Região Metropolitana Vale do Paraíba e Litoral Norte) curtirem com os amigos ou com a família. Além dos trajetos entre vegetação da Mata Atlântica, os turistas podem fazer até trilhas subaquáticas.

Confira abaixo algumas trilhas disponibilizadas em parques estaduais e prepare-se para desbravar e se encantar com a natureza da RM Vale. Pelos caminhos é possível encontrar cachoeiras, vegetação exuberante e observar alguns animais silvestres, principalmente pássaros.  As informações são das secretarias de Turismo e do Meio Ambiente do Estado.

Parque Estadual da Serra do Mar – Núcleo Caraguatatuba


Composto por diversas trilhas, entre elas a Trilha Noturna, o turista pode avistar espécies de animais de hábito noturno, entre elas, os cogumelos bioluminescentes. Outro destaque é a Trilha do Jequitibá, onde está situado o Circuito de Observação de Aves, com comedouros e condições ideais para avistar diversas espécies, como tiê-sangue, saíras, sabiás e outros.

Serviço: O acesso ao Núcleo é pela rua do Horto Florestal, 1200, Bairro Rio do Ouro. As visitas precisam ser agendadas e os ingressos custam R$ 12 por pessoa. Crianças de até 12 anos, adultos com mais de 60 e pessoas com deficiência também não pagam. Estudantes pagam meia entrada, mediante apresentação de documento.
Para mais informações ligue: (12) 3882-5999, das 14h às 17h, acesse o site ou mande um e-mail para: nucleocaragua@hotmail.com.br.

Parque Estadual da Serra do Mar – Núcleo Picinguaba (Ubatuba)
O Centro Cambucá de Observação de Aves é um dos atrativos no Núcleo Picinguaba, em Ubatuba. O espaço tem um grande lago, onde são avistadas e registradas as paradas de aves migratórias. Além de diversas trilhas, o Núcleo reserva ainda uma visita pela Comunidade Tradicional Quilombola da Fazenda, onde os turistas poderão visitar a Agrofloresta, Casa de Farinha, Roda de Conversa com moradores antigos, apresentação musical “Tambores da Fazenda” e visita à cachoeira. É possível também agendar um almoço tradicional na comunidade.

Serviço:  Rodovia BR-101, km 08 – Ubatuba, SP. As trilhas necessitam de agendamento prévio pelo e-mail agendamento.picinguaba@gmail.com ou pelo telefone (12) 3832-1397.

ilhabela_2_1

Vista de Ilhabela

Divulgação/GESP

 

Parque Estadual da Serra do Mar - Núcleo Cunha - Trilha do Rio Paraibuna


Poder admirar uma bela cachoeira já é gratificante. Aliar essa atividade a uma calma caminhada pela preservada Mata Atlântica da Serra do Mar torna a Trilha do Rio Paraibuna um passeio bastante agradável.
As quedas d’água do Rio Paraíbuna, entre elas a Cachoeira do Paredão, compõem essa trilha de 1,7 quilômetro, que é autoguiada, tem nível baixo de dificuldade e está aberta aos visitantes o ano inteiro.
O acesso à trilha está logo na entrada da sede do Núcleo Cunha do Parque Estadual Serra do Mar. No local há estacionamento, centro de visitantes com vista para a Cachoeira do Rio Paraíbuna, além de uma área para piquenique. Durante a caminhada, que dura em média uma hora, o visitante poderá observar muitas araucárias e palmeiras.
A caminhada é tranqüila, com o visitante desfrutando o visual de corredeiras e de quedas d’águas, como a do Paredão, que está localizada após uma descida de pedras que o deixará de frente para ela. Na região há também um poço profundo bastante utilizado para banho.

Serviço: O acesso pode ser feito pelas rodovias Ayrton Senna/Carvalho Pinto. Seguir até a saída 129, acesso para Taubaté. Prosseguir pela Dutra até o trevo de Guaratinguetá. Seguir pela Rod. Paulo Virginio (SP-171) até o km 56 – Estrada do rio Paraibuna. Horário da trilha, das 8h às 16h.
Mais informações pelos telefones  (12) 3111-1818 e 3111-2353 ou pelo e-mail pesm.cunha@fflorestal.sp.gov.br

pe_picinguaba_e_cunha1

Núcleo Picinguaba, em Cunha

Divulgação/GESP

 

Parque Estadual da Serra do Mar - Núcleo Cunha - Trilha das Cachoeiras


A Trilha das Cachoeiras oferece ao visitante o contato com Mata Atlântica muito bem preservada e belas cachoeiras dos rios Paraibuna e Ipiranguinha. Apesar de sua extensão, 14,4 quilômetros (ida e volta), existe a possibilidade de percorrer parte desse caminho de carro. A trilha é monitorada e classificada com grau médio de dificuldade. O passeio nesta trilha deve ser agendado.

Durante o percurso de aproximadamente seis horas para quem o faz a pé, o visitante poderá observar pegadas de diversos animais, como gatos-do-mato e até mesmo de onças-pardas (suçuarana). Aves como nhambu, macuco, jacu, e alguns tipos de gaviões, além de macacos-prego e bugios, estão entre as espécies mais facilmente avistadas.

Um trecho de quatro quilômetros pode ser feito de carro, mas sempre com acompanhamento de monitor. O restante da trilha, que é classificada como nível de médio de dificuldade, é feito a pé com paradas para banho em poços de águas cristalinas.

Serviço: Acesso pelas rodovias Ayrton Senna/Carvalho Pinto. Seguir até a saída 129, acesso para Taubaté. Prosseguir pela Dutra até o trevo de Guaratinguetá. Seguir pela Rod. Paulo Virginio (SP-171) até o km 56 – Est. do Paraibuna. Horário de saída para a trilha, aos domingos, às 11h. O parque fica aberto das 8h00 às 17h. O passeio é limitado a um grupo de 30 pessoas por domingo. O agendamento pode ser feito de segunda a sexta-feira pelos telefones (12) 3111-1818 / 3111-2353 ou pelo e-mail pesm.cunha@fflorestal.sp.gov.br.

PE Serra do Mar - Ilha Anchieta - Trilha Subaquática (Ubatuba)

Geralmente as trilhas remetem à terra e a atributos históricos e culturais de fora dos oceanos. Pois a Trilha Subaquática tem um tempero diferente, ela tem parte de seu percurso preparado para ser percorrido mergulhando, além do trecho na superfície para apreciar as belezas naturais da Ilha Anchieta.

A Trilha Subaquática tem extensão de 350 metros na ida pelo fundo mar e mais 500 metros de retorno por terra, pela chamada Trilha do Engenho. Durante o caminho acontecem cinco atividades de interpretação e educação ambiental, realizadas nos ambientes terrestre e marinho. Ela é monitorada por profissionais especializados nos meses de janeiro e autoguiada no restante do ano.

Durante o percurso de aproximadamente uma hora e 30 minutos, o visitante conhece características de Ecossistemas Marinhos: denominação, para áreas marinhas, do complexo sistema de relações mútuas entre os fatores bióticos (organismos vivos) e fatores abióticos (elementos físicos e químicos do ambiente) que interagem entre si, com transferência de energia e matéria entre esses componentes, ao entrar em contato com algas, peixes coloridos, estrelas do mar (como a rara “estrela vermelha”), além de esponjas, ouriços-roxos, corais-cérebro, lírios-do-mar, entre outros.

A trilha foi planejada para a realização de mergulho livre e mergulho autônomo (com utilização de equipamento para respiração no fundo do mar), além de possuir uma piscina natural protegida das ondas. Ela pode ser feita autoguiada ou monitorada, com acesso a idosos e portadores de necessidades especiais.

Serviço: O acesso é feito pelas rodovias Ayrton Sena/Carvalho Pinto ou Dutra. Rod. dos Tamoios (SP-099) / Rio Santos (BR-101) km 62 / Marina Pier do Saco da Ribeira. O horário da trilha das 9h00 às 14h30, a subaquática somente nos meses de janeiro. O parque fica aberto das 9h às 18h (fecha às quartas). O agendamento pode ser feito pelo telefone (12) 3832-9059 ou e-mail peia_contato@fflorestal.sp.gov.br.

PE Serra do Mar - Ilha Anchieta - Trilha do Saco Grande (Ubatuba)


Para quem gosta de aliar o contato com a natureza à oportunidade de conhecer locais de grande valor histórico, a Trilha do Saco Grande é ideal. Além das características ambientais da ilha, o visitante conhecerá as ruínas do quartel e da vila do presídio que funcionou no local. A trilha é classificada como nível médio de dificuldade.

A trilha do Saco Grande tem 2,6 quilômetros. Durante o percurso de aproximadamente duas horas, o visitante é conduzido por voluntários que nasceram ou viveram na ilha na época de funcionamento do Presídio e no Dia do Levante (rebelião dos presos), ocorrido em 20 de junho de 1952. Além desse roteiro histórico-cultural, também se aborda o tema “ambiente insular”.

Durante o percurso de aproximadamente duas horas de duração, o visitante também terá será levado a um costão rochoso e um mirante, que possibilita avistar as ilhas das Palmas e das Cabras.

Além da flora de Floresta atlântica de restinga e Vegetação de costões rochosos, há também plantas exóticas (não nativas) como jaqueiras, goiabeiras, eucaliptos e palmeiras-de-leque. Dentre os animais, há a possibilidade de serem vistos capivaras, cotias, macacos-prego, sagüis-de-tufo-preto, gambás, pacas e quatis. O nível de dificuldade da trilha é classificado como médio.

Serviço: O acesso pode ser feito pela rodovia Rio Santos (BR-101) km 62 / Marina Pier do Saco da Ribeira. Horário da trilha das 9h às 14h30. O parque fecha às quartas-feiras.  Informações pelo telefone  (12) 3832-9059 ou e-mail: peia_contato@fflorestal.sp.gov.br 

media_trilha_do_garcez_01_1

Trilha do Garcez

Divulgação/GESP

Parque Estadual da Serra do Mar - Trilha do Poção (Caraguatatuba)

Cruzar rios e corredeiras é parte da aventura proporcionada a quem percorre a Trilha do Poção disposto a desfrutar a paisagem ou banhar-se na cachoeira de mesmo nome. O percurso de 3,5 quilômetros (ida e volta) e que leva, em média, quatro horas para ser concluído, começa próximo de um parque infantil existente no local.

O trajeto da trilha tem nível de dificuldade médio e é percorrida somente com apoio de monitores.

Além da travessia de riachos em contato direto com a água, o visitante cruzará o Rio Santo Antônio por uma ponte suspensa em cabos de aço. O transbordamento desse rio causado por intensas chuvas foi muito comentado como um dos fatores que contribuiu, em 18 de março de 1967, no escorregamento de parte da atlântica de encosta. Floresta atlântica de encosta é a nomenclatura usada para designar a mata que é encontrada nas encostas litorâneas da Serra do Mar. Centenas de pessoas morreram e a cidade de Caraguatatuba ficou isolada por mais de 24 horas.

Cutias, esquilos, tamanduás, tucanos, tiês-sangue e surucuás estão entre as espécies de animais possíveis de serem avistados. Sobre a flora, destacam-se árvores como jequitibás, figueiras-brancas e canelas. A trilha termina na cachoeira do Poção, onde os visitantes podem tomar banho.

Serviço: Acesso pela Rodovia dos Tamoios (SP-99) até o Km 80. Informações pelos telefone  (12) 3882-3166 / 3882-5999 ou pelo e-mail pesm.caragua@fflorestal.sp.gov.br.

 

PE Serra do Mar -Trilha do Garcez - Núcleo Santa Virgínia (Natividade da Serra)

Uma cachoeira com três níveis de queda d’água. Pois esse é o principal atrativo da Trilha do Garcez, que leva à cachoeira com o mesmo nome. Com seis quilômetros, a trilha cruza trechos de Mata Atlântica de planalto bastante preservada e que também leva até a Cachoeira Jacu, onde há uma parada para o visitante nadar, lanchar e descansar.

Em formato circular, a trilha leva cerca de três horas para ser percorrida. Devido a algumas subidas e descidas mais íngremes, tem classificação de nível médio de dificuldade. O acompanhamento de monitores é obrigatório.

Para matar a curiosidade, Garcez é o sobrenome de uma família que morava perto da cachoeira e Jacu é a identificação popular de uma ave vista com facilidade na região

Serviço: O acesso pode ser feito pelas rodovias. Airton Sena/Carvalho Pinto até Taubaté ou Rod. Pres. Dutra (saída 111) /Rod. Oswaldo Cruz (SP 125) até o km 66, entrar à direita, seguir 15 km até a Vila da Vargem Grande e mais 2 Km até a entrada do Parque. Informações pelos telefones  (12)  3671-9159 / 3671-9266 pu e-mail: pesm.santavirginia@fflorestal.sp.gov.br

trila_media_trilha_do_pocao_02

Ao longo das trilhas, visitantes observam vegetação exuberante, animais silvestres e muitas cachoeiras

Nome do fotógrafo

Parque Estadual da Serra do Mar - Trilha do Rio Bonito (Cunha)

O Rio Bonito, que dá nome à trilha, proporciona o contato com águas cristalinas, cachoeiras e poços para banho que compensam o esforço físico feito pelos visitantes nos trechos iniciais do percurso. A trilha é circular e tem 7,6 quilômetros.

O nível de dificuldade da trilha é alto devido a uma subida logo no começo da caminhada, que exige preparo físico. Durante o percurso de aproximadamente quatro horas e 30 minutos, ela cruza uma área de Mata Atlântica bem preservada com diversos tipos de palmeiras.

A trilha é monitorada e o visitante percorrerá um trecho que margeia o Rio Bonito com sua água pura e transparente, podendo visualizar facilmente o fundo com areia e pedras. Como um espelho, o curso d’água reflete a floresta, criando um belo visual.

Serviço: Seguir a via Dutra até o trevo de Guaratinguetá, pegar a rodovia Paulo Virgínio até o km 56 – Estrada do Paraibuna.  Horário da saída monitorada para a  trilha: aos sábados, às 11h. Informações e agendamento pelos telefones  (12) 3111-1818 / 3111-2353 ou pelo e-mail pesm.cunha@fflorestal.sp.gov.br

trilha_subaquaticailha_anchieta_divulgacao_e1357911836438

Trilha Subaquática, na Ilha Anchieta

Divulgação/GESP

 

PE da Serra do Mar Núcleo Picinguaba  Trilha do Corisco (Serra da Bocaina)

Percorrer uma trilha já é uma atividade desafiadora. Agora se a trilha chega a níveis elevados de altitude, torna-se ainda mais difícil, mas sempre promovendo experiências inesquecíveis. Esse é o caso da Trilha do Corisco.

Pelo percurso de 20 quilômetros, o visitante pode ver o marco da divisa dos estados de São Paulo e Rio de Janeiro, no morro do Cuscuzeiro, onde a trilha atinge 600 metros  de altitude e há a possibilidade de pernoite. Além disso, a trilha passa por alguns poços para banho.

A trilha, que leva, em média, nove horas para ser percorrida sempre com acompanhamento de monitor, inicia-se em Paraty, no bairro do Corisco, dentro do Parque Nacional Serra da Bocaina, e termina na casa da farinha no sertão da fazenda Picinguaba, no Núcleo Picinguaba do Parque Estadual Serra do Mar.

A trilha é de difícil acesso, passando por dentro da floresta atlântica de encosta bastante preservada e com pontos de elevada altitude, tornando o nível de dificuldade alto. Durante o percurso o visitante encontrará uma fauna e flora muito rica, com espécies como cutias, macucos, jacutingas, tatus, porcos-do-mato, bugios (tipo de macaco), além da possibilidade de ver pegadas de onças-pardas. Sobre a flora, destacam-se canelas, jatobás, jequitibás e cedros.

Serviço: Acesso  pelo km 11 da rodovia RIo-Santos. Informações pelos telefones (12) 3832-9011 / 3832-1397 ou pelo e-mail pesm.picinguaba@fflorestal.sp.gov.br.

Parque Estadual de Ilhabela - Trilha do Baepi (Ilhabela)

Ilhabela é mais do que belas praias. E a Trilha do Baepi está estruturada para levar os visitantes do Parque Estadual de Ilhabela a descobrirem isso. Com 7,4 quilômetros (da e volta), ela tem um ponto da caminhada que chega a 1.048 metros de altitude, proporcionando uma visão panorâmica do arquipélago e toda a Mata Atlântica da região.

Durante o percurso de seis horas e com muitas subidas, a trilha exige preparo físico dos visitantes, tornando o nível de dificuldade alto.

Percorrida sempre com acompanhamento de monitores, ela começa em uma região de sapezal desmatado, prosseguindo por uma área de Floresta atlântica de encosta, bem conservada, em que são sentidas as diferenças climáticas, como a presença de nevoeiros.

A trilha ainda proporciona o contato com jequitibás, figueiras e perobas. Para os que gostam de observar animais, há a possibilidade de encontros com papagaios-moleiro (regionalmente ameaçado de extinção), tucanos e esquilos-caxinguelê.

Serviço:  Balsas São Sebastião /Ilhabela, depois segue para o centro de visitação do Parque, Praça Coronel Julião de Moura Negrão, 115.no centro da ilha. O horário da trilha: das 8h00 às 12h00, limitado a quatro grupos diários com 15 pessoas.  Informações pelos telefones (12) 3896-2585 / 3896-1646 ou pelo e-mail peilhabela@fflorestal.sp.gov.br.