Não tem idade certa para ser fã de cultura pop. Suely Gemmi, de 67 anos, estava em frente a um castelo montado pelo canal HBO, inspirado pela série Game of Thrones, vestida como a personagem Olenna Tyrell (Diana Rigg), no primeiro dia da Comic Con Experience, a CCXP, de 2018, em São Paulo, nesta quinta, 6. Em apenas alguns minutos, dezenas de pessoas pediram para tirar foto. "Estou me divertindo, melhor que ficar em casa no sofá", ela brinca.

A filha de Suely, Camila, de 30, faz cosplay há cinco com a ajuda da mãe. Resolveu também ir vestida inspirada por Game of Thrones, como a personagem Sansa (Sophie Turner). Para ela, se fantasiar é uma paixão. "Ver o encanto das pessoas quando elas chegam perto e se referem a você como o personagem, para mim, é muito gratificante", diz.

Game of Thrones, sem dúvidas, era a grande atração do primeiro dia. Os criadores da série, David Benioff e D.B. Weiss, além dos atores Maisie Williams e John Bradley, que vivem Arya Stark e Samwell Tarly, respectivamente, vieram ao Brasil especialmente para um painel sobre a série, que teve o auditório lotado, com centenas de fãs do lado de fora lutando para entrar. Recepcionadas por uma orquestra, que tocou a música-tema de Thrones, as quatro estrelas subiram ao palco, com direito a palavras em português de Maisie. "E aí, galera, vamos ferver?", arriscou.

Os quatro se revezaram fazendo perguntas genéricas uns aos outros, mas o que o público realmente queria - ouvir novidades sobre a 8ª e última temporada, que estreia em abril do ano que vem - não aconteceu. O painel quase ignorou a temporada final, a não ser por um pequeno depoimento de Benioff sobre o último dia de gravações. "No último dia, Weiss e eu dirigimos o episódio final, havia um cenário de ruínas e destruição. Nós dois tiramos uma foto, sozinhos, porque foi assim que começamos na série." Ao final, nenhum trailer, apenas um pequeno teaser animado, com a luta entre o fogo e o gelo.

Diversão variada

Do lado de fora, o estande da HBO, com atrações interativas inspiradas na série, reunia cosplayers inspirados por Game of Thrones nos arredores. As amigas Amanda Carvalho e Vanessa Silvestre, de 28 e 25 anos, decidiram ir, juntas, vestidas como Daenerys Targaryen (Emilia Clarke). Apesar de muita gente ter disputado ingressos para o painel da série, as duas afirmam não fazer questão da experiência.

"Viemos para ver a feira. O painel acaba atrapalhando, devido ao tempo que a gente tem que ficar lá", acredita Vanessa.

As atrações, de fato, vão além do painel. São dezenas de lojas de roupas e produtos colecionáveis, uma área para fã de games, um espaço para jovens artistas e ainda os estandes de grandes empresas do entretenimento, seja no cinema ou na TV, que usam a CCXP para divulgar suas atrações próximas. Segundo a organização do evento, são esperados 260 mil visitantes até domingo, nos quatro dias de feira. A estimativa é de 130 horas de programação.

Nesta edição, pelo menos nos estandes, as séries de TV parecem ter um destaque maior. A Netflix montou uma réplica da Casa da Moeda espanhola vista em La Casa de Papel, que também gera uma fila gigantesca. Já o Globoplay montou um simulador de voo de helicóptero, por conta da recém-lançada série Ilha de Ferro.

Neste primeiro dia, a Amazon Prime Video realizou um painel com o ator Ricky Whittle, o Shadow Moon da série American Gods, para falar sobre a segunda temporada, que estreia em março do ano que vem. O ator cativou o público e reencenou situações curiosas dos bastidores da série, como quando ele e o colega Pablo Schreiber se feriram, sem querer, numa cena de luta. "Nos machucamos, mas ficou uma cena maravilhosa."

Além das brincadeiras, ele contou um pouco sobre o futuro da produção, inspirada na obra de Neil Gaiman. "Mesmo que você tenha lido o livro não sabe o que está por vir", revela, antes de fazer mistério. "Se a primeira temporada foi de 'is', a segunda será de 'tchaus'."


As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.