Que refrigerante faz mal, isso possivelmente você já deve ter ouvido falar. Mas qual realmente são os malefícios desta bebida tão consumida pelos brasileiros. Uma pesquisa recente revelou que o Brasil consumiu 14,3 milhões de litros em apenas um ano.

Dentre os principais malefícios provocados pelo refrigerante, podemos destacar o risco para doenças cardiovasculares, doenças hepáticas, diabetes e consideravelmente o aumento o aumento do peso que agrava todos esses fatores.

Sabendo destes problemas, e muitas vezes sendo enganado por falsas propagandas, você pode pensar que a alternativa é tomar a versão “zero” e estará ileso de todos esses problemas. Puro engano. Eles também são perigosos para a saúde e tão maléficos quanto. Apesar de não conter açúcar no caso do zero e, portanto, o valor calórico bem menor do que o do refrigerante “normal”, eles contam com aditivos e adoçantes totalmente cancerígenos, uma quantidade de sódio muito maior em sua composição, colaborando para o surgimento de várias doenças, como a já citadas acima.

Uma pesquisa realizada em Harvard apontou que a ingestão de refrigerantes frequente eleva em 20% os riscos de um homem vir a ter ataque cardíaco por um período de 22 anos. Quanto mais bebida era ingerida, mais aumentava o risco de ataque cardíaco.
Outro problema muito recorrente e comentado a respeito é o consumo desse produto pelas crianças. O que talvez seja o principal gerador do crescimento da obesidade infantil, visto que crianças e adolescentes são os que mais consomem a bebida, vale ressaltar o trabalho da conscientização que os pais devem desenvolver, para que mais tarde não tornem adultos doentes.

Apesar das varias denominações ‘diet’, ‘light’, ‘zero’ refrigerantes são bebidas com nenhum poder nutricional e que só vai prejudicar a saúde. Corte estas bebidas do seu dia a dia e viva mais e melhor.

Ana Caroline Oliveira nutricionista

Ana Caroline Oliveira é nutricionista e colunista do portal Meon

Divulgação