Confira as grandes favoritas e as chances da Miss São Paulo na competição

miss_rio_grande_do_norte_miss_amazonas_miss_santa_catarina_miss_distrito_federal

Monique Sandrelly Rêgo - Miss Rio Grande do Norte (superior esquerdo); Mayra Dias - Miss Amazonas (superior direito); Débora Silva - Miss Santa Catarina (inferior esquerdo); Biah Rodrigues, Miss Distrito Federal (inferior direito)

Divulgação

 Olá, leitores do MEON!

Depois de oito meses, estamos de volta com o concurso de Miss Brasil, o responsável por eleger a representante do nosso país para competir no Miss Universo, o maior concurso de beleza do mundo.

Ao contrário do ano passado, quando o evento foi realizado em agosto, em 2018 o Miss Brasil ocorrerá já na semana que vem, dia 26. Isso por dois motivos: o primeiro é que a organização do Miss Universo, a WME-IMG, desejaria realizar a edição deste ano mais cedo do que no ano passado, que ocorreu ao fim do mês de novembro. As edições do Miss Universo estão muito “tardias” desde 2012. Houve anos em que o concurso ocorreu até em janeiro do ano seguinte à edição em si (por exemplo: o Miss Universo 2014 ocorreu em 25 de janeiro de 2015; e o MU 2016 ocorreu em 29 de janeiro de 2017). A informação é extraoficial, portanto só mais pra frente saberemos se isso ocorrerá ou não.

O segundo motivo, este confirmado, é que a Band não quis que o concurso fosse realizado no período da Copa do Mundo FIFA e das Eleições. Altamente compreensível, por ser tratar de um show televisivo.

Partamos então para a cidade sede. Depois de décadas fora de cena, o Rio de Janeiro foi escolhido como o palco para o concurso deste ano. A final ocorrerá no Riocentro, no bairro da Barra da Tijuca, famoso espaço de convenções carioca. Por que no Rio e por que em especial no dia 26? Porque justamente no Riocentro estará ocorrendo um encontro anual dos empreendedores da Polishop, a patrocinadora do concurso. O objetivo é que o Miss Brasil seja um atrativo para os parceiros e convidados da atual dona da franquia Brasil Universo. Esperemos que a competição seja grande destaque no evento, e que atraia um grande público durante sua exibição!

E, finalmente, as candidatas:

miss_sao_paulo_paula_palhares

Miss São Paulo, Paula Palhares

Divulgação

As moças desembarcaram na última quarta-feira, 16, na cidade maravilhosa, e estão hospedadas no município de Mangaratiba, próximo a Angra dos Reis, no Portobello Resort & Safári. Elas já estão realizado atividades e compromissos oficiais, e esta fase, chamada de “confinamento”, será transmitida em quatro episódios na página oficial do Miss Brasil no Youtube, aos mesmos moldes que foi feito o Miss São Paulo, também com apresentação de Maria Eugênia Suconic. A diferença é que, por sorte, nenhuma moça será eliminada no meio do processo. Ou seja, teremos as 27 candidatas na exibição da final.

Para quem se interessar, a produção do concurso também realizou uma série de entrevistas com todas as candidatas comandadas justamente por Monalysa Alcântara, nossa atual Miss Brasil e Top 10 no Miss Universo 2017. A sacada, em minha opinião, foi muito boa, pois as meninas conseguiram conversar de igual pra igual umas com as outras. Não podemos nos esquecer que estamos falando de jovens entre 18 e 26 anos, então o assunto comum à esta faixa etária vão de moda, estilo, comportamento, e muito bom humor. Claro que não deixaram de lado questões como o empoderamento feminino e causas sociais, mas tudo feito na “língua” delas. Mérito também da própria Monalysa, que teve muita naturalidade, personalidade e jogo de cintura para conduzir 27 entrevistas com uma média de dez minutos cada. Em suma, vale a pena conferir.

Tendo em vista essas entrevistas, os concursos estaduais e, claro, o clamor popular, vamos às favoritas, que nesse ano são várias.

Abrindo um parênteses antes de apresentá-las, vale a pena comentar o caso que sacudiu o mundo miss recentemente: a escolha da representante do Rio Grande do Sul, que gerou grande polêmica para os fãs do concurso. A franca favorita do país todo (sim, o Brasil inteiro acompanhou o processo de eleição da representante gaúcha, como todos os anos, por se tratar da maior potência em concursos de beleza), e também de críticos internacionais (como o renomado Anthony Gomes) Sancler Frantz, não conquistou a coroa deste ano, terminado em terceiro lugar. A eleita foi a representante de Eldorado do Sul, Leonora Weimer.

Não tirando o mérito da atual Miss Rio Grande do Sul, que é belíssima e vem forte na disputa, mas se tem uma palavra que define Sancler Frantz é: completa. A moça tinha tudo o que o Brasil precisava para ir tranquilo na busca da terceira coroa de Miss Universo para o país (curiosos: assistam qualquer vídeo dela na internet para comprovar o que eu falo). Páginas nacionais e internacionais esperavam com expectativa o avanço da moça para o Miss Brasil e, por fim, ao concurso universal. Segundo a própria Sancler, porém, a organização do Miss RS já havia planejado sua derrota, pois ela já foi Miss Brasil Mundo em 2013 (um outro concurso que não tem ligação com este do qual tratamos - uma espécie de concorrente). Isso, e o fato do Miss Brasil Be Emotion (nome oficial da franquia) querer meninas novas associadas a marca, teria feito com que Sancler Frantz não tenha obtido o título que ela e o país almejavam.

sancler_frantz_x_leonora_weimer_miss_rio_grande_do_sul

Sancler Frantz x Leonora Weimer, Miss Rio Grande do Sul

Diculgação

Tudo isso para dizer que se ela estivesse concorrendo ao Miss Brasil, seria a máxima favorita.

Voltando às candidatas: realmente não há como se dizer que uma em especial se destaca em relação às demais. O grupo está muito homogêneo, as candidatas estão fortes. Há anos que não nos deparamos com tantas potencialidades assim. Se fosse dizer de quais delas podemos esperar um Top 10 justo teríamos, em ordem alfabética: Amazonas, Bahia, Ceará, Distrito Federal, Goiás, Pará, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, São Paulo e Tocantins. (Coincidentemente acabei formando um Top 15!). Todas são belezas ímpares e em reais possibilidades de irem longe na competição, além das outras moças que vêm com muita força.

A representante do nosso Estado, Paula Palhares, que representou Sumaré no Miss São Paulo, melhorou muito desde a vitória até hoje. Mesmo com apenas 18 anos, a moça veio ao confinamento com ar de “mulherão”. O cabelo vem sendo tratado para parecer mais volumoso, preenchendo o rosto da candidata, deixando-o ainda mais marcante do que já é. A opção de penteá-lo para o lado, afim de deixar um lado de perfil a mostra, é uma boa saída para valorizar a beleza dela. O corpo é impecável: as medidas são muito bem distribuídas nos seus 1,74m. A garota mostrou na entrevista com Monalysa Alcântara muita naturalidade e simpatia. A única questão preocupante, que saberemos apenas no dia da final, é se a oratória dela melhorou ou não. Quem viu o Miss São Paulo, ou quem leu o artigo no MEON, soube que a menina se embaralhou toda na resposta da pergunta final, e ainda foi cortada pelo apresentador Cássio Reis (que ele não repita nesta edição!). Um Top 10 realmente seria o mínimo a se esperar dela. Só o desempenho dirá se é merecido uma vaga entre as cinco finalistas.

Dentro dessas 15 candidatas que apontei, quatro delas vêm se destacando em relação às demais: Rio Grande do Norte, Amazonas, Santa Catarina e Distrito Federal. Por enquanto, essas moças são as favoritas do público e da crítica para alcançar a coroa, lembrando que ainda tem muita água para rolar. Biah Rodrigues, do DF, tem um rosto angelical. A moça posa muito bem para fotos e tem presença marcante. Débora Silva, do SC, tem o típico rosto de uma Miss. Muito bem humorada e profissional, a candidata chama atenção pelos belos olhos azuis. Mayra Dias, AM, traz a beleza indígena ao concurso, e tem um corpo muito bem esculturado e um sorriso cativante. Lembra muito a candidata da Venezuela ao Miss Universo 2018 (sim, já está eleita): Sthefany Gutierrez. E, por último, mas não menos importante, a mais cotada à coroa segundo muitos especialistas: Monique Sandrelly Rêgo, a Miss Rio Grande do Norte. A moça tem excelente passarela e corpo, além da beleza e muita elegância. Vejamos como se sairá em oratória, pois observando a entrevista com Monalysa, notamos Monique um pouco tímida, mas sem perder a classe. Um upgrade no comportamento durante esses dez dias de confinamento pode ser crucial para ela.

Além das quatro, não ficaria surpreso se chegassem ao Top 5, além da Miss São Paulo, as misses Ceará, Goiás, Pernambuco, Piauí e Rio Grande do Sul.

Como visto, as apostas são muitas, e tudo ainda está muito incerto. Vamos acompanhar o confinamento das meninas ao longo desses dias, onde tudo pode mudar. É nesse período que elas têm que conquistar o público, a imprensa e, principalmente, os jurados.

E para você, quais são suas favoritas? Acompanhe no MEON mais novidades sobre o principal concurso de beleza do país e torça pela sua candidata, que logo menos voltaremos com mais novidades sobre o Miss Brasil.