Sempre me deparo com esses questionamentos e procuro pensar no quão diversificado o conceito da palavra família se tornou, antes tínhamos como padrão a família do comercial de margarina, aquela constituída no modelo patriarcal, hoje, após o desenvolvimento cultural e social essa idéia foi sendo alterada e acabou evoluindo junto com uma sociedade mais democrática e igualitária, dando a oportunidade de cada um buscar a sua felicidade, seja ela como e com quem for.

A família é o início de tudo, é onde criamos a primeira referência do indivíduo, seus valores, sua moral e ética são construídas a partir dos primeiros anos de convivência deste laço afetivo, toda criança é esponja, ela suga tudo a sua volta, sem o famoso filtro que nós adultos criamos com o tempo. Portanto, é aquela velha história, se eu planto flores, vou colher flores, se eu planto espinhos, infelizmente vou colher espinhos, não existe mágica, existe exemplos a serem seguidos, sejam eles bons ou ruins.

O professor e filósofo Mario Sérgio Cortella de quem sou um grande admirador, diz em uma de suas obras que “o mundo que vamos deixar para nossos filhos, depende fundamentalmente dos filhos que vamos deixar para esse mundo”. Essa frase nos faz pensar em que tipo de homem ou mulher está criando e educando para o futuro, será que serão pessoas responsáveis, solidárias e empáticas? Será que estamos fazendo nossa parte? Certamente neste momento você está se perguntando ou até mesmo se culpando, mas não desanime sempre há tempo para corrigir um erro, só erra quem faz e se está refletindo sobre isso, já é um começo.

É importante frisar que teremos uma sociedade mais justa e humana somente depois que aprendermos a lidar com esses serezinhos que nos endoidam e fascinam ao mesmo tempo, são eles que farão do futuro um lugar digno ou não, são eles que mudarão a realidade de um país ou de uma nação, consegue compreender a responsabilidade que tens em suas mãos?

Um lar não precisa ter uma configuração que seja modelo padrão, ele só precisa ter amor, carinho e respeito. A criança que cresce em um ambiente saudável tem maiores condições de obter êxito na vida, ela terá um melhor rendimento escolar, se desenvolverá mais rápido e chegará à fase adulta tendo independência e princípios.

Não cometa o erro de criar seu filho para você, crie-o para o mundo, faça dele um ser humano forte que saiba enfrentar os obstáculos do cotidiano, que tenha dentro dele a vontade de quebrar paradigmas, que seja inquieto e que possa criar asas e voar. Sei que é difícil, mas quem falou que educar alguém é tarefa fácil? Se não sabe brincar, não desce pro play! (rs)

Se chegou até aqui, é porque se interessou no tema e acho que consegui lhe fazer entender a relevância e a complexidade de termos uma família estruturada no convívio de uma criança, por isso pensei em algumas dicas que lhe ajudarão nesta missão:

• Desenvolva diálogos com todos os membros da família;
• Nunca discuta ou xingue alguém na frente de uma criança;
• Crie uma rotina entre você e seu pequeno;
• Aprenda a falar NÃO quando necessário;
• Brinque, cante e dance, não tendo medo de ser feliz;
• Ensine-o desde cedo o poder de sorrir;
• Não terceirize a educação do seu filho;
• Escola não educa, quem tem esse dever é a família;
• Ler para uma criança toda noite antes de dormir é criar um mundinho de possibilidades e imaginação;
• TENHA TEMPO PARA O SEU FILHO, TENHA TEMPO PARA O SEU FILHO E TENHA TEMPO PARA O SEU FILHO.

Lembre-se do mais importante, a criança é o reflexo do meio em que se vive, desde o ventre da mãe até o final da vida, ela levará consigo o que lhe foi transmitido. Seja AMOR, eu e o mundo agradecemos. Até a próxima!