Capítulo I

Alana,

Queria que você soubesse de uma coisa: cansei. Cansei de ser feito de palhaço. Cansei de todas as suas palavras vazias, dos seus olhares dissimulados, dos seus sorrisos cínicos que por muito tempo me seduziram. Hoje eu vejo como fui idiota em acreditar cada vez que você me olhava com ternura, lágrimas brotando, mãos quentes entrelaçadas nas minhas.

Como não percebi? Como aceitei ser o seu estepe por tanto tempo? Como aceitei seus carinhos todas as noites em que você dividiu a cama comigo, mesmo sabendo que não era a mim que você queria dirigi-los?

O pior é que mesmo tendo noção de que fui usado, nada do que você fizer ou disser vai apagar ou me fazer esquecer meus sentimentos. Não consigo ignorá-los. Não quero ignorá-los. Tudo o que me resta é fingir que o que vivemos (ou pelo menos o que EU vivi) não passou de um sonho. Uma outra vida. Em um universo paralelo.

Tenho consciência de que tudo foi culpa minha. Me deixei levar pela sua lábia e pelos seus lábios. Me entreguei de tal maneira que hoje só me restam fragmentos de mim mesmo, e tudo o que sinto é pena de mim por ser ele e não eu quem adentra seus pensamentos e te preenche por inteiro.

Mas como eu disse, cansei. Sou culpado, mas a sua cegueira para o meu sentimento foi quem causou todo esse mal. E eu te odeio por isso.

Dói.

E eu te amo por isso.

Esta é uma história escrita por Stephanie Bertram