Segundo dados do Ministério da Saúde, cerca de 10% da população jovem sofre da doença

viver_bem_unimed_hipertensao

Viver Bem Unimed Hipertensão

Divulgação

 

A hipertensão arterial é considerada uma doença “democrática”, por atingir qualquer tipo de pessoa, sem exceção. De jovens a idosos, independentemente de sexo, cor, classe social e peso, sejam pessoas calmas ou nervosas. Prova disso são os números levantados pelo Ministério da Saúde, que apontam que um em cada dez jovens brasileiros sofre de pressão alta. Ainda que a maioria dos casos atinjam os idosos (com 60 anos ou mais), as estatísticas indicam que 10% da população entre 25 e 34 anos sofre da doença. Já na faixa dos 35 aos 44 anos, o número aumenta para 19%.

Embora qualquer um possa ser alvo da hipertensão, há certos cuidados que se pode tomar para não acabar se tornando mais uma vítima. Em primeiro lugar, abolir o sedentarismo. Pessoas sedentárias têm muito mais chances de se tornarem hipertensas, podendo desenvolver outros problemas consequentes da pressão alta. Segundo dados da Sociedade Brasileira de Hipertensão (SBH), a doença é responsável por 40% dos infartos, 80% dos derrames e 25% dos casos de insuficiência renal.

Outro fator de risco é o sobrepeso, em especial a obesidade. Pessoas acima do peso são mais propensas a terem pressão alta. O indicado, nos casos de hipertensão, é perder cerca de 10% do peso corpóreo. Para cada quilo reduzido, a pressão de quem é hipertenso cai, em média, de 1,3mmHg a 1,6mmHg. Portanto, é importante se atentar à alimentação e a uma rotina de exercícios físicos frequentes.

banner_unimed

Saiba mais AQUI

Publicidade

E por falar em alimentação, um dos grandes vilões da pressão arterial é o sal. Ingerir grandes quantidades de sódio, muito presente no sal e em comidas oleosas e fritas, pode causar um aumento na pressão arterial. Cuidado também com a ingestão de bebidas alcoólicas. O ideal mesmo é não beber ou pelo menos diminuir a quantidade de álcool por dia (720ml de cerveja, 240ml de vinho ou 60ml de destilados).

Outro fator determinante para manter a pressão regular é controlar as situações de estresse, evitar o desgaste emocional e o cansaço extremo. O tabagismo também é um dos principais causadores de hipertensão, portanto quem fuma precisa para imediatamente não correr esse risco.

Recomenda-se, para todas as pessoas, hipertensas ou não, que meçam a pressão pelo menos uma vez ao ano. A hipertensão é uma doença silenciosa, que demora a manifestar os sintomas, principalmente entre os jovens. Tomando esses cuidados, as chances de se tornar um hipertenso diminuem drasticamente. Evidentemente existem outros fatores que podem influenciar, como a hereditariedade. Quem tem casos de hipertensão na família deve sempre redobrar a atenção.

 www.unimedsjc.coop.br