tiguan_allspace_r_line_350tsi_42

Lançamento do carro que será produzido em Taubaté foi em São Paulo

Divulgação Vols

Entre as novas gerações automores que surgiram nos últimos anos está a linha SUV, que foi aderido por diversa montadores, mas uma delas ainda se mantinha fora da concorrência. Muitos analisavam como uma decisão de manter a marcha reduzida, porém, a estratégia era um estudo especializado do produto e do cliente brasileiro para, ao acender o farol alto, conseguir enxergar um projeto a longo prazo.

Esperamos que o segmento cresça mais de 30% em até três anos, por isso vamos trazer cinco SUVs para o mercado brasileiro até 2020"

Pablo Di Si Pres. Volks Brasil

Pablo Di Si Presidente Volks Brasil

“O segmento SUV é o que mais cresce no Brasil, mais de 20% até o início de 2018, mas sobre o passado não posso fazer nada, já foi. Esperamos que o segmento cresça mais de 30% em até três anos, por isso vamos trazer cinco SUVs para o mercado brasileiro até 2020. O primeiro lançamento é o Tiguan Allspace; o segundo será o T-cross, com um investimento de R$ 2 milhões na produção nacional, previsto para o 1º semestre de 2019; logo chegará o Tarek, produzido na Argentina, e ainda terão outros dois que ainda não podemos falar”, declarou Pablo Di Si, presidente e CEO da Volkswagem Região América do Sul e Brasil, durante um evento de lançamento para convidados, que contou a participação do Meon.

A entrada da montadora no novo segmento já vinham sendo avisado pelas redes sociais e plataformas digitais, e a interatividade, como a conectividade, pontos fortes trabalhados antes do lançamentos, são alguns dos destaques da nova Tiguan Allspace.

A primeira SUV da nova geração da Volks foi pensada por meio de uma análise dos desejos dos próprios clientes. “Em nossas clinicas com clientes, identificamos que no momento da compra, o principal motivo de escolha é o desenho, depois a conectividade e por último o preço. Esse carro foi pensado assim, com uma nova plataforma, mais comprida e com pura tecnologia e interatividade, sendo apenas o primeiro passo da nossa grande empreitada de SUVs”, completa o presidente.

Mercado

Ao apresentar o novo produto, o Executivo da empresa declarou que a brincadeira com os clientes pelas redes sociais sobre a especulação no valor, que já se tornou uma tradição, iria surpreender a todos. Como novidade no mercado e com o anúncio de tantos detalhes e riquezas, a internet chutou entre R$ 150 mil e R$ 200 mil. Até que não estavam errados, mas o valor de entrada pode ter surpreendidos muitos.

“A Allspace é muito maior, mais comprida e deu muito mais espaço, por isso que reafirmo, esse carro tem o preço de mercado da SUV média, mas compete com veículos de segmentos superiores e maiores. E com a Tiguan, sempre queríamos chegar com um preço competitivo, desde a versão de entrada, por isso o R$ 124.990,00 foi uma grande surpresa e ficou realmente mais barato”, declara Gustavo Schmidt, Vice-Presidente de Vendas & Marketing Brasil.

As 500 primeiras unidades a chegarem ao Brasil foram disponibilizadas em uma pré-venda durante a noite de lançamento na segunda-feira (9), onde os clientes deveriam apresentar uma entrada de R$ 10 mil para garantir a frota de abertura das vendas. Esses compradores deve receber os veículos a partir de maio, quando poderemos ter a chance de vê-los pelas ruas do Brasil.

Mas quem passar pela região oeste de São Paulo ou ainda pelo trecho da rodovia dos Bandeirantes entre a capital e Osasco, já vai poder se deparar com alguns modelos das três versões da Tiguan Allspace em test-drive. E para saber se trata de uma SUV da Volks não será difícil, apenas se atentar a um tamanho maior do que o comum para o segmento.

“Foi criado um DNA especifico para essa plataforma, com uma linguagem muito mais facetada e estruturada, e tudo foi pensado para desenvolver um novo tipo de carro. É uma silueta muito funcional, com bastante espaço para 5 e 7 passageiros. Então, aos poucos todo os lançamentos SUV vão comunicando esse design que vai chegando de uma forma global, em todo o espaço.”, declaro José Carlos Pavone, Chefe de Design da Volkswagem Região SAM e Brasil.

E esse novo formato, previsto para dominar as estradas, também terá um visual produzido nacionalmente, na unidade , com o próximo modelo T-cross, que deve chegar ao mercado no primeiro semestre de 2019.

“Vamos encontrar um veículo muito semelhante, de qualidade, linguagem e tratamento de superfície. Mas, o T-cross, como costumo dizer, quanto menor o carro, menos ‘funk’ e mais ‘animado’ o design tem que ser, e quanto maior o carro, mais sério ele fica”, explica Zé.