Funcionários Urbam  coletores de lixo Divulgação PMSJC

Sindicato quer barrar aumento no valor do plano de saúde dos funcionários da Urbam 

Arquivo/Divulgação/Urbam

O plano de saúde dos funcionários da Urbam (Urbanizadora Municipal), de São José dos Campos, pode subir mais de 30%, quando entrar em vigor o novo contrato com a 'Clínica São José', no dia 22 de março. O custo do convênio sofrerá um aumento de R$ 4,5 milhões somente no primeiro ano do novo contrato.

A 'Clínica São José Saúde' pertence à família do vice-prefeito Ricardo Nakagawa (PMDB) e presta serviço à Urbam há quase 14 anos. A Urbanizadora Municipal realizou a nova licitação porque o atual contrato vence no dia 21 de março.

A empresa de saúde fará a cobertura de 7.400 vidas (funcionários e dependentes) por um período de dois anos e meio, a um custo de R$ 37,28 milhões --os repasses mensais serão de R$ 1,24 milhão.

O contrato que ainda está em vigor foi firmado em 2013, com custo estimado em R$ 20,8 milhões por um período de 30 meses. Com os reajustes anuais e o prazo de vigência prorrogado, o valor total pago chegou a R$ 41,4 milhões ao longo de cinco anos.

Funcionários

O valor médio atual de R$ 125 por vida deve passar para R$ 166 quando entrar em vigor o novo contrato, no dia 22 de março, segundo informações da 'Clínica São José'.

A Urbam não informou ao Meon quanto irá descontar do salário dos funcionários e nem quanto irá arcar do custo total do convênio médico. A empresa possui cerca de 2.900 funcionários.

O boletim 'Aconteceu na Urbam', de circulação interna, informa que o plano de saúde sofrerá um aumento de R$ 4,5 milhões somente no primeiro ano do contrato. "Com relação à participação dos funcionários nos custos do novo convênio, a diretoria está analisando alternativas para que o impacto financeiro seja o menor possível", diz trecho do boletim.

Atualmente, os funcionários que ganham o piso (R$ 1.119) pagam 4% do salário pelo plano de saúde, e os trabalhadores que ganham acima do piso pagam 4%, mais 1% por dependente, segundo informações do Seeac, sindicato que representa a categoria. 

A direção da entidade já fez duas reuniões com representantes da Urbam para discutir o assunto e afirma que não vai aceitar que a empresa transfira o peso do reajuste aos bolsos dos funcionários.  

"Ainda não tem nada definido. Mas o sindicato não vai deixar que nada seja alterado com relação aos descontos no salário dos funcionários, que estão garantidos pelo acordo coletivo", disse Marcelo Ribeiro, presidente do Seeac.

A partir de 22 de março, o valor médio de R$ 125 por vida deve passar para R$ 166.

Concorência 

Uma licitação para contratação do plano de saúde foi aberta no dia 8 de fevereiro, e como não houve interessados, uma nova licitação foi feita com aumento dos preços. A concorrência foi realizada por meio de pregão presencial e contou também com a participação da Unimed, que não recorreu do resultado.

Segundo a Urbam, a Unimed apresentou o valor mensal de R$ 1.920.843,92 e a Clínica São José apresentou o valor mensal de R$ 1.242.862,50. 

A empresa municipal informou ainda que o valor unitário (por vida) é de R$ 165, sendo que a Urbam subsidia parte deste valor de acordo com a faixa salarial e o número de dependentes de cada funcionário.

A vencedora da licitação já foi homologada, mas o contrato ainda não foi disponibilizado no site da Urbam. O Meon questionou a Urbam sobre o aumento do atual contrato com relação ao anterior e também qual será o impacto no bolso do trabalhador, mas a empresa municipal não informou. 

A 'Clínica São José' informou, por meio de sua assessoria, que apresentou valores 58% abaixo da concorrente. A empresa de saúde ressaltou, porém, que o reajuste foi decisão da Urbam.

"O aumento do valor do contrato partiu da própria Urbam, que fixa o preço na concorrência a partir de uma pesquisa de mercado que ela realiza com todas as operadoras da região para estimar o preço médio", informou a Clínica São José.

A empresa de saúde ressaltou ainda que o vice-prefeito, Ricardo Nakagawa, não é sócio nem faz parte do corpo administrativo do 'Grupo São José Saúde'.

"Quem figura no quadro societário da empresa é a senhora Marie Nagakawa, que é mãe do Dr. Ricardo e viúva do Dr. Hishiro Nakagawa, que fundou a empresa na cidade há 53 anos", diz a nota da 'Clínica São José'.

O Meon procurou o o vice-prefeito, que é filho da sócia da Clínica São José, para comentar a nova contratação pela Urbam. A assessoria de imprensa da prefeitura informou que ele não comentaria por não fazer parte do quadro de direção da clínica.