Greve Geral - 28/04 - Manhã

Em São José, a concentração deve acontecer a partir das 9h na Praça Afonso Pena

Reprodução

Sindicatos e movimentos de pelo menos sete cidades da RMVale devem aderir a Greve Geral programada para sexta-feira(14). Manifestantes planejam sair as ruas contra a Reforma da Previdência, desemprego e os cortes nas verbas para a educação.

Diversas categorias em todo o país como metalúrgicos, petroleiros, servidores, operários da construção civil, condutores, professores e entre outros, manifestaram apoio a paralização. Em São José, a concentração deve acontecer a partir das 9h na Praça Afonso Pena no centro da cidade.

De acordo com o Sindicato dos Metalúrgicos (SindMetal), haverá paralisações em fábricas de São José, Jacareí, Caçapava, Igaratá, Santa Branca, Taubaté e Pindamonhangaba. Alguns trabalhadores de outros setores como serviços públicos, comércio, bancos e escolas também devem aderir ao ato.

A Associação Valeparaibana das Empresas de Transporte de Passageiros (Busvale - Avetp), emitiu uma nota nesta tarde afirmando que tem conhecimento dos protestos marcados para sexta(14). Disse também que, como defende a Lei de Greve, pelo menos 30% da frota do transporte coletivo das cidades da região deve permanecer em operação.

A expectativa dos organizadores é que a greve seja semelhante com a que ocorreu em 2017, com paralisação dos principais serviços. Este ano, os movimentos sairão às ruas manifestando opinião contrária à reforma da Previdência, cortes de verbas na educação e desemprego.

A hashtag #SextaTemGreve entrou na lista dos assuntos mais publicados do Twitter brasileiro no começo da tarde desta quarta-feira (12). Às 14h50, a #SextaTemGreve era a quinta colocada na lista das dez expressões mais postadas.

     

     

     

 *Com informações do jornal Estadão