O prefeito Felicio Ramuth (PSDB) afirmou, em entrevista coletiva realizada nesta quinta-feira (9), que a obra do Arco da Inovação, conhecida como Ponte Estaiada, que está sendo construída na região oeste de São José dos Campos, não seria financiada diretamente pelo BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento). O pronunciamento foi convocado após o banco divulgar que a obra não poderia ser objeto de financiamento por não atender alguns critérios.

Segundo o tucano, a estrutura se desenvolve com recursos obtidos com a instituição financeira, porém, com o remanescente de outros empreendimentos, como desapropriações da Via Cambuí e obra da Via Oeste, que fazem parte do projeto de empréstimo.

“Desde o primeiro dia a obra [da Ponte Estaiada] estava incluída dentro do contrato do BID. Todos os recursos utilizados têm como origem o empréstimo do Banco Interamericano, mesmo que não sejam diretamente relacionados com a obra da ponte”, disse.

A afirmação do prefeito é uma resposta após informações acerca de Reclamação feita ao MICI (Mecanismo Independente de Consulta e Investigação), colegiado dedicado a receber denúncias e investigar possíveis irregularidades relacionadas a projetos financiados pelo banco, serem divulgadas em dezembro de 2019.

“A Diretoria autorizou a Recomendação para não investigar sem objeção no dia 26 de novembro de 2019” concluiu o MICI, afirmando que “o caso está fechado”, conforme consta no site da instituição.

“Ficou claro que desde o primeiro dia de contrato com o BID que a obra da Ponte Estaiada estava incluída no projeto, desde a época do edital. Em um determinado momento foi aberta uma investigação no MICI e, em decorrência disso, é que nós entendemos que era melhor, em conjunto com o BID, receber recursos de outras obras, que nós já havíamos executado e utilizar esses recursos no Arco da Inovação, porque essa verba só pode ser aplicada em obras de infraestrutura”, completou.

Em contato com o BID, o mesmo afirmou que “Sobre o programa BR-L1160 Programa de Estruturação Urbana de São José dos Campos, o Banco tem a informar que a obra ‘Arco da Inovação’ não pode ser objeto de financiamento e/ou reconhecimento como contrapartida dentro do programa[...]”.