maratonista francês Eric Welterlin (Reprodução/Facebook)

Morador de Itajubá (MG) segue desaparecido após ir ao Pico dos Marins

Reprodução/Facebook

Após 10 dias do desaparecimento do maratonista francês Eric Welterlin, no Pico do Marins, em Piquete, a Polícia Civil amplia a linha de investigação com a possibilidade de se tratar de um sequestro, além de outros crimes. Montanhistas experientes nos roteiros da região, ouvidos pela reportagem do Meon, reforçam a chance do estrangeiro não estar dentro da mata.

“As polícias de Piquete, Itajubá (MG) e Marmelópolis (MG) estão integrais na investigação, junto com o trabalho do Corpo de Bombeiros e dos voluntários. Ainda não podemos afirmar nada, mas existem diferentes especulações, como a que ele pode estar morto nas valas dos fundos desfiladeiros, descido por outros caminhos e até ter sido sequestrado, podendo, até, não ter sido ele que levou o carro até ao início da trilha”, explicou o investigador Ericson Marcos dos Santos, da delegacia de Polícia Civil de Piquete.

A mesma suposição de outros casos, como o não desaparecimento, é citada por montanhistas que se aventuram pelas trilhas da região.

“Estive presente no auge do resgate, no sábado (21 de abril), quando já começaram a surgir outras desconfianças, acreditando que ele não esteve dentro da floresta. Tem gente falando até de sequestro. Mas, pela experiência dele e se realmente disputava provas de montanhismo, ele tinha as noções básicas e sabia que estaria chegando uma frente fria. Estava chovendo, ventando e em algum momento a verdade vai aparecer à tona”, comentou um montanhista ouvido pelo Meon, que preferiu naõ se identificar. 

A investigação da Polícia Civil busca provas e novas informações para conseguir definir o que teria ocorrido ao maratonista. Câmeras de seguranças no trajeto até o posto de base da trilha estão sendo analisadas.

“Estamos desde a manhã desta quinta-feira (26) assistindo minuciosamente 12 horas de gravações de quatro câmeras de segurança de uma residência que está localizada no bairro do Itabaquara, no acesso ao Pico dos Marins. Elas podem auxiliar a identificar o momento em que o carro do montanhista passou pelo trecho e quem estaria dirigindo, como também outras pessoas que passaram pela estrada no dia do desaparecimento”, destaca o investigador.

Buscas

As equipes do Corpo de Bombeiros de São Paulo e Minas Gerais seguem desbravando a área de mata à procura do francês. De acordo com o capitão Paulo Roberto Reis, responsável pela operação, as buscas serão encerradas somente se algo concreto for apresentado por outras equipes de segurança oficiais.

“As informações seguem a hipótese de que ele teria entrado na trilha. Se não fosse isso não estaríamos com o pessoal dedicado, subindo e descendo morros. Caso outras instituições estejam com mais informações, ainda não fomos informados. Não há previsão de encerrar as buscas, somente se alguém trouxer outra informação concreta”, comentou o capitão Reis, que está com 30 homens na mata, estes que já andaram por mais de 100km².

O Corpo de Bombeiros, Exército e Polícia Militar devem realizar uma segurança na tarde desta quinta-feira (26) com o objetivo de unir as informações do trabalho de todas as equipes e direcionar quais serão as próximas ações para localizar Eric Welterlin.