Lula após sair da prisão em Curitiba  Reprodução Facebook Lula

 Lula saiu da prisão em Curitiba na tarde desta sexta-feira (8)

Reprodução/FacebookLula

Pelo menos dois ônibus sairão de São José de Campos na manhã deste sábado (8) em direção a São Bernardo do Campo onde acontecerá a festa de comemoração a soltura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O PT de Taubaté afirmou que ao menos 50 pessoas já confirmaram que também irão à São Bernardo. Lula saiu da prisão em Curitiba na tarde desta sexta-feira (8).

O diretório municipal do PT (Partido dos Trabalhadores) de São José está organizando a caravana e afirmou que já confirmou pelo menos dois ônibus.

Já o diretório do PT de Taubaté afirmou que fará um ato ‘Lula Livre’ às 15h no Espaço Selvagem, que fica na Rua Cônego de Almeida, no Centro da cidade. A caravana ainda está sendo organizada, mas, segundo o diretório, 50 pessoas já confirmaram presença.

A festa da soltura de Lula acontecerá às 12h na sede do Sindicato dos Metalúrgicos de São Bernardo.

        

O outro lado

        

Movimentos contrários à decisão do STF (Supremo Tribunal Federal), sobre prisão após condenação em 2ª instância, organizam atos para este sábado (9) em São José dos Campos e Taubaté. Na RMVale, a convocação acontece pelas redes sociais e é liderada por movimentos ‘Vem Pra Rua’, ‘Taubaté nas Ruas’ e ‘Movimento Conversador’.

Em São José, a manifestação terá início às 14h e acontecerá entre a Rua Engenheiro Prudente Meireles de Moraes e o Parque Vicentina Aranha. A expectativa dos organizadores é utilizar um carro com som alto e chamar atenção das pessoas que passarem pelo local.

Já em Taubaté, os grupos planejam realizar um ato a partir das 16h, na Praça Santa Terezinha, na região central.  

Em seu perfil oficial nas redes sociais, o prefeito de São José dos Campos, Felício Ramuth (PSDB), postou um vídeo criticando a decisão do STF. Na gravação, o tucano lamenta e relaciona a decisão a um distanciamento do judiciário da população.

“Lamentável essa decisão, um retrocesso para o nosso país e mostra um distanciamento do judiciário em relação às pessoas. Eu estou falando isso porque temos muitas outras pessoas [além do Lula] em investigação, e que precisariam ao decorrer da investigação e da condenação em segunda instância, deveriam, na minha opinião, serem presos. Estou falando de todos os partidos, inclusive do meu. Eu estou falando das pessoas que acreditam que o nosso país de impunidade, e com essa decisão, reforça essa sensação”, disse.