policia_9 policia ronda sirene emergência

Idosa teria sido estuprada no dia 22 de julho após uma corrida com um motorista de aplicativo 

Arquivo 

A Justiça determinou a prisão de um motorista de aplicativo, de Jacareí, acusado de estuprar uma mulher de 68 anos em São Paulo. O suspeito está foragido.

De acordo com informações do mandado de prisão temporária, expedido pelo Tribunal de Justiça de São Paulo nesta terça-feira (30), o crime aconteceu no dia 22 de julho, após a mulher solicitar uma corrida de São José dos Campos para São Paulo.

Ainda de acordo com o documento, que segue em segredo de Justiça, a vítima informou que estava na casa de um amiga e pediu um carro pelo aplicativo 99 até sua casa na capital. Inicialmente o acusado teria recusado a corrida porque a vítima levava um animal.

A 99 enviou nota às 11h45 da manhã desta sexta-feira (2) (veja abaixo). 

Após negociação, o motorista teria aceitado levar a idosa até São Paulo pelo valor de R$ 300 e, ao chegarem na casa da vítima, o acusado teria pedido para utilizar o banheiro.

Segundo o documento, após um tempo o motorista teria chamado a idosa alegando que a privada estava com problemas. Segundo relato da vítima, que consta no processo, quando a mulher entrou no banheiro teria encontrado o homem com os órgãos genitais para fora das calças e teria obrigado a mulher a ter relações sexuais. 

Ainda de acordo com relatos da vítima no processo, após a agressão ela teria tomado banho e neste momento o acusado teria fugido do local.

O Boletim de Ocorrência foi registrado na 58º DP, na Vila Formosa, em São Paulo.

O que diz a 99

"A 99 recebeu a grave denúncia envolvendo um motorista da plataforma no dia 22 de julho, que aconteceu durante uma corrida realizada fora do aplicativo.

Uma equipe foi mobilizada para apurar o caso e está em contato com os familiares da vítima para oferecer todo o suporte necessário. Enquanto isso, o condutor foi bloqueado. A 99 está disponível para colaborar com a investigação da polícia.

A 99 repudia profundamente esse caso de violência e está trabalhando 24 horas por dia, 7 dias por semana, para colaborar com a segurança dos usuários."