O Dia dos Trabalhadores foi marcado por um protesto do Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos e região. Nesta terça-feira (1º), cerca de 150 pessoas do sindicato e de movimentos sociais se reuniram na ocupação Quilombo Coração Valente, em Jacareí.

O protesto começou aproximadamente às 15h30 e teve como principais temas debatidos a luta contra a reforma trabalhista implementada pelo governo Michel Temer (MDB) e a lei da terceirização que, de acordo com os manifestantes, retiram direitos históricos dos trabalhadores.

Para o diretor do sindicato, Weller Gonçalves, a data ganhou ainda mais importância após as reformas promovidas pelo governo Temer. Ele afirma que é momento para que os trabalhadores se levantarem sobre o que ele define como ‘assalto’ aos direitos dos trabalhadores.

“Infelizmente, neste 1º de maio não temos nada a comemorar. Os trabalhadores estão vendo seus direitos históricos sendo jogados na lata do lixo. Aqui estamos confirmando a nossa luta contra o governo Temer. Trata-se de um ato independente, que também protesta contra os sindicatos que têm virado às costas para os trabalhadores”.

Além do Sindicato dos Metalúrgicos de São José e Região, também participaram o Sindicato dos Correios, o movimento Mulheres em Luta, Sindicato dos Professores Estaduais e a Associação dos Metalúrgicos Aposentados e Pensionistas.

Contra Lula

Ao contrário de outras manifestações que acontecem pelo país neste Dia do Trabalhador, o manifesto na ocupação em Jacareí não pediu a liberdade do ex-presidente Lula (PT), preso em Curitiba.

“Durante os governos Lula e Dilma, o que se viu foram os trabalhadores perdendo cada vez mais seus direitos. Portanto, não estamos chorando pela prisão do ex-presidente”, afirma.

A ocupação fica na Estrada do Viradouro e conta com, de acordo com os líderes, 1.500 famílias.