represa_paraibuna_2

Crime aconteceu no dia 4 de julho 

Arquivo

 

A gestante brutalmente assassinada que teve o filho arrancado do útero no último dia 4 de julho  em Paraibuna foi identificada pela polícia. 

Segundo 

investigadores, Leila dos Santos era negra e moradora de rua.

Os parentes da vítima ainda não foram identificados.

Um casal de São José dos Campos é suspeito de cometer o crime. Segundo a polícia, um homem identificado como N.D.L.P. e uma mulher identificada como M.T.G.R.V. tentaram registrar o recém-nascido em Paraibuna alegando que a criança havia nascido na zona rural. 

Entenda o caso

Leila dos Santos foi morta e teve seu bebê arrancado do útero em uma estrada rural perto da represa de Paraibuna, no dia 4 de julho. Ela estava com corte na barriga e ao lado do corpo foi encontrada a placenta, o que indica que foi realizada uma cesárea improvisada e o bebê foi levado.  De acordo com a Polícia Militar, o corpo da vítima estava parcialmente queimado.