carlos_sergio_motorista_aplicativo

Motorista foi assassinado nessa quarta-feira; seu corpo foi jogado em uma rua do Monte Castelo

Reprodução Facebook






























A família de Carlos Sérgio Santos de Souza, morto na tarde desta quarta-feira (21) em São José dos Campos, pressentiu que algo havia acontecido com o motorista cerca de duas horas após o crime, antes mesmo de a polícia ter identificado a vítima. Carlos Sérgio trabalhava para a Uber, mantinha uma rotina com horários rigorosos e era muito ativo no grupo de mensagens da família. 

"Ele trabalhava do início da manhã até o fim da tarde, quando retornava para a casa por volta das 18h. Sempre foi muito responsável com os horários, nunca fazia corridas à noite porque sabia que era perigoso", conta a cunhada da vítima, Daniela Valadão.

Carlos Sérgio era casado e tinha dois filhos, de 7 e 11 anos de idade.  Segundo Daniela, ele era conhecido por sua calma e bom humor, trabalhava havia três anos como motorista do aplicativo.

Por volta das 16h, o motorista parou de responder mensagens no grupo da família, o que causou estranheza, já que ele sempre participava das conversas. Às 18h, quando ele não apareceu em casa, todos já imaginavam que algo havia acontecido com o motorista. Às 20h, eles iniciaram buscas.

“Como a minha irmã trabalha o dia todo, eu e meu marido pegamos o carro e saímos à procura dele [Carlos Sérgio]. Fomos no Pronto Socorro, na polícia e no IML quando então fizemos o reconhecimento dele”, disse Daniela.

                Leia também: Motorista de aplicativo é encontrado morto em São José

O corpo de Carlos foi encaminhado ao IML (Instituto Médico Legal) às 17h, mas como estava sem documentos, ainda não tinha sido identificado pela polícia, por isso, os familiares não foram notificados.

De acordo com a polícia, o motorista foi espancado e morto a tiros. A Polícia Militar foi acionada às 16h48 e quando a equipe chegou ao local encontrou o corpo caído na rua Cantídio Miragaia, com muitos hematomas pelo corpo e sinais de tiro.

“A informação que temos é que assaltaram o Carlos e abandonaram o corpo dele lá no Monte Castelo. Usaram o carro dele para isso e até agora não sabemos para onde o veículo foi levado. Provavelmente ficaram irritados por ele não ter dinheiro e nem nada”, disse Daniela.

Whatsapp Meon 02 Horizontal

O corpo do motorista foi velado na Urbam (Urbanizadora Municipal) e o enterro estava previsto para as 16h desta quinta-feira (22), no Cemitério Parque Horto São Dimas, na zona leste da cidade.

O crime está sendo investigado pela DIG (Delegacia de Investigações Gerais), que não informou se há suspeito. Por meio de nota, a Uber confirmou que Carlos Sérgio prestava serviço para a empresa e que vai colaborar com as investigações.