O secretário da Receita Federal, Marcos Cintra, minimizou nesta segunda-feira, 17, o pedido de demissão do presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Joaquim Levy, após ter sido atacado pelo presidente da República, Jair Bolsonaro, no fim de semana. Segundo Cintra, o assunto diz respeito apenas a Bolsonaro, "que sabe o que está fazendo", e ao ministro Paulo Guedes, responsável pela indicação de Levy para o cargo.

Cintra negou ainda que haja desconforto interno dentro do Ministério da Economia após o ocorrido. "Toda a equipe está absolutamente tranquila, o trabalho continua com a mesma dedicação", disse.