O Banco Central Europeu (BCE) decidiu manter sua política monetária inalterada nesta quinta-feira, na primeira reunião de 2020 e a segunda sob o comando de Christine Lagarde, que sucedeu o italiano Mario Draghi na presidência da instituição em novembro. O BCE, no entanto, lançou uma revisão de sua estratégia de política monetária, cujos detalhes serão publicados às 11h30 (de Brasília).

Como previam analistas, o BCE manteve a taxa de refinanciamento em 0% e a de depósito em -0,50%.

Em comunicado, o BCE reafirmou que manterá o programa de relaxamento quantitativo (QE, pela sigla em inglês), através do qual vem comprando 20 bilhões de euros em ativos mensalmente desde novembro.

O QE será mantido "pelo tempo que for necessário para reforçar o impacto acomodatício das suas taxas de política" e terminará pouco tempo antes de o BCE "começar a elevar as taxas de juros", reiterou a instituição.

O BCE também reafirmou que os juros continuarão nos níveis atuais ou menores até que a inflação da zona do euro convirja "de forma robusta" para sua meta oficial, que é de uma taxa ligeiramente abaixo de 2%. Os dados mais recentes, referentes a dezembro, mostram que a inflação anual do bloco está muito abaixo desse patamar, em 1,3%.

Logo mais, a partir das 10h30 (de Brasília), Lagarde falará sobre a decisão de hoje em coletiva de imprensa.