“Tá ficando bonito, hein!” Esse é um comentário muito ouvido quando se avista as obras do Arco da Inovação, no entorno da rotatória do Jardim Colinas, entre as regiões centro e oeste de São José dos Campos. Passageiros, pedestres, ciclistas e motoristas acompanham com interesse o levantamento da ponte estaiada, que unirá a avenida Jorge Zarur com as avenidas São João e Cassiano Ricardo.

Também estão ansiosos os joseenses que trabalham na construção da estrutura. É o caso de Ana Jully Façanha Araújo, de 24 anos, que desde o começo do ano atua na parte administrativa do canteiro de obras.

Formada em engenharia civil e moradora no Campo dos Alemães (região sul), ela optou por deixar o antigo emprego. Mesmo sendo temporário, o novo trabalho abre oportunidades e valoriza o currículo.

“Aqui estou em contato com todas as áreas da empresa e me desenvolvendo profissionalmente”, disse.

prefeitura de sao jose dos campos

Lucas Cabral / PMSJC

Para Ana, o orgulho é maior em saber que a ponte estaiada será importante para São José. “A gente fica muito contente.”

Essa situação acontece em todas as obras da Prefeitura de São José. Moradores da cidade têm prioridade no momento da contratação.

São pedreiros, soldadores, armadores e demais profissionais do ramo que ajudam na construção. É assim na Via Cambuí, na Rotatória do Gás, na Arena Municipal de Esportes ou na ligação Salinas-Evangélicos.

“É muito bom poder trabalhar na área que a gente gosta”, disse o carpinteiro Robson Rebouças Rodrigues, de 33 anos e morador do Dom Pedro 1º. Ele faz parte da mão de obra joseense nas obras espalhadas pela cidade.