O governo brasileiro anunciou na segunda-feira, 15, oficialmente sua saída da União de Nações Sul-Americanas (Unasul), pouco depois de a Bolívia informar que estava transmitindo a presidência temporária do bloco ao Brasil, após fracassar em sua tentativa de reunir seus membros. O anúncio da saída do Brasil foi feito poucos dias depois de a Argentina e o Uruguai anunciarem que também deixariam a Unasul. A decisão do Brasil foi comunicada oficialmente ao governo do Equador, país depositário do acordo, segundo um comunicado do Ministério das Relações Exteriores.

Ontem, o Grupo de Lima, reunido em Santiago, pediu aos membros da comunidade internacional que adotem mais medidas para isolar o presidente venezuelano, Nicolás Maduro, para que possa ocorrer o "restabelecimento da democracia" no país sob o governo de Juan Guaidó, reconhecido como presidente por mais de 50 países.



As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.