2o_dia_de_provas_enem_foto_wilson_dias_agencia_brasil_3

Estudante chegam em escola para o segundo dia de provas; portões fecharan às 13h

Wilson Dias/Agência Brasil Brasil

 

Muitos estudantes afirmaram ter sido difícil e até "seletiva" a prova do Enem deste domingo, 11. Nesta segundo dia e último dia do exame, foram aplicadas provas de Matemática e Ciências da Natureza, incluindo Biologia, Física e Química. 

A estudante Suellen Lopes, de 25 anos, que fez a prova na Unip Vergueiro, em São Paulo, foi a primeira a deixar o local de prova do Enem neste domingo, 11. Eram 15h30. "Nada que eu estudei caiu. Chutei 80% da prova", comentou a estudante, que concorre a uma vaga em Administração. "Vi que não ia conseguir um bom resultado e desisti."

                 Veja o que professores acharam das provas do 2º dia do Enem

O candidato Jonathas Camargo, de 25 anos, e que prestou seu terceiro Enem, disse que as provas estão cada vez mais difíceis e seletivas. "As questões de Matemática e Física foram uma palhaçada, parece que foram direcionadas para quem fez cursinho. Quem sai do ensino médio em escola pública não tem a menor chance", reclamou.

Lais Stefanie, de 19 anos, também achou o Enem deste ano mais difícil que no ano passado. "É o terceiro (Enem) que faço e, apesar de estudar muito, o nível de dificuldade tem aumentado, sobretudo na área de Ciências. No ano passado, estava mais fácil." Ela já cursa Administração e tenta bolsa.

Em seu primeiro Enem - ele está concluindo o terceiro ano do ensino médio -, Thiago Luz, 16 anos, considerou as questões de Matemática muito difíceis. "Algumas estavam confusas, mas acho que fui melhor na parte de Ciências." Concorrendo ao curso de Farmácia, ele havia prestado Enem em 2017 como treineiro. "Não fiz cursinho, mas estudei muito pelo Youtube", disse.

"Havia questões fáceis e outras difíceis", ponderou Marcelo Menezes, de 22 anos, que não soube citar um assunto ou pergunta específica da avaliação. Ele tenta psicologia. "Mas acho que fui de mediano para bem."

Abstenção

No segundo domingo de provas, 1.610.681 estudantes faltaram ao Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), o que representa 29,2% dos 5.513.726 inscritos. O índice é maior do que o do domingo passado, que foi de 24,9%, mas é menor que as taxas registradas no segundo dia de provas em 2016 e 2017. 

O ministro da Educação, Rossieli Soares, afirmou ser normal o aumento de ausências no segundo dia do exame. “O número de ausências foi menor que nos últimos anos, mas é um pouco maior do que no primeiro dia, o que é normal. Às vezes, o aluno não tem o desempenho que deseja ou imagina e acaba não indo no segundo dia”, argumentou.

Eliminados
Neste domingo, 66 estudantes foram eliminados, a maioria por descumprimento das regras gerais do edital, como sair antes do horário permitido, usar material impresso e não atender a orientações dos fiscais. Dois foram eliminados na revista no detector de metais e por recusa na coleta dos dados biométricos.

Em nenhum local, a aplicação da prova foi suspensa. “A logística da aplicação funcionou maravilhosamente bem. Foi a melhor aplicação da história do Enem”, afirmou o ministro.