O futsal regional tem um confronto dos mais importantes na noite desta quinta-feira. Às 19h, no ginásio Vila Aparecida, o Taubaté recebe o São José no jogo de volta de um mata-mata que vale vaga nas semifinais da Liga Paulista.

Pelo principal campeonato estadual, o jogo de ida foi disputado na quarta-feira da semana passada. Em São José dos Campos, no ginásio do Tênis Clube, um empate por 3 a 3 acabou deixando a volta ainda mais interessante.

Com uma campanha geral bem melhor, o Taubaté tem as vantagens da segunda partida em casa e da igualdade na soma de pontos, depois dos dois jogos e mais uma prorrogação. O São José terá que ganhar no tempo normal, ou empatar e depois ganhar nos 10 minutos de desempate.

Sobre o encontro de quarta-feira passada, o jogo começou equilibrado, com ambos os times apostando em sua defesa nos momentos iniciais, sem dar brechas para o adversário subir. Mesmo assim o São José Manguaça era melhor em quadra, se impondo mais. Por conta disso a primeira grande chance foi de Ferrugem que pegou forte, de frente, mas a bola saiu rente à trave.

As chances eram melhores para o time da casa, principalmente com Paulinho, que fazia muito bem o trabalho de pivô, era distribuindo jogo, ora tendo chances de finalizar. Porém a bola insistia em parar na defesa nessas horas e o placar permanecia na igualdade.

Foi somente na metade final do primeiro tempo que veio o gol (aos 14min18s). O próprio Paulinho recebeu de frente e chutou para a defesa do goleiro. No rebote Leandrinho pegou de direita, acertando o ângulo para marcar o primeiro. A resposta veio somente dois minutos depois (16min27s): em saída de bola errada a bola bateu em Cardelli e foi rolando para o gol.

Já nos cinco minutos finais o São José Manguaça, estourado em faltas, procurava focar em sua marcação antes de subir para o ataque. Nesse momento, veio a virada. Após erro na saída de bola, Daniel defendeu o chute e a bola sobrou para Nenê, que empurrou para o fundo da rede (19min35s): 2×1 para os visitantes na saída para o intervalo.

Mesmo ritmo

O São José Manguaça voltou com intensidade para o segundo tempo, com Paulinho já tendo a primeiro oportunidade com uma sobra de bola de frente, porém o goleiro pegou. Um minuto depois veio o empate (1min38s). Paulinho, novamente, chutou de longe. O goleiro deu rebote e Leandrinho estava lá para chutar no canto: 2×2.

O Taubaté voltava sua atenção para a defesa enquanto time da casa vinha com volume de jogo. Foi persistindo no contra-ataque que saiu o gol (15min39s). Em lançamento longo Vitinho recebeu na ala e chutou no canto: 3×2.

Agora os visitantes estavam na defesa, enquanto que o São José Manguaça atacava com tudo e as chances apareceram, mesmo com a defesa baixa dos adversários. A equipe da casa trabalhava bem quando com a posse de bola e sempre acabava na frente do gol, porém a finalização sempre parava na defesa. O tempo corria.

Faltando quatro minutos Vandinho entrou como goleiro-linha para tentar abrir a defesa. O São José Manguaça fazia a bola rodar com rapidez, abrindo brechas, principalmente pelas alas. No entanto as finalizações não encontraram o fundo da rede durante quase cinco minutos. Foi somente nos 20 segundos finais (18min47) que Leandrinho, de fora, acertou um ótimo chute no canto para deixar tudo em 3×3.

Os times

O São José, do técnico Flávio Cavalcante, começou com: Daniel, Ferrugem, Leandrinho, Paulinho e Gustavinho. Entraram durante a partida: Rafão, Fineo, Dieguinho, Marcelo Paulista, Vandinho, Rômulo e Tatu.

O Taubaté, do técnico Leandrinho Reis, começou com: Pezão, Jojô, Japa, Felipe Reis e Fabinho. Entraram durante a partida: Betinho, Dasaiev, Cardelli, Rezala, Vitinho e Nenê.

A equipe de arbitragem contou com: Renato Neves Leite (árbitro), Rodrigo Pires (auxiliar), Fábio Henrique Patriarca (cronometrista) e Daiane Sales de Sousa (anotadora).

Na foto (de Brenno Domingues/São José Futsal/Manguaça FS), o goleiro taubateano Pezão vai abafar um ataque joseense no jogo de ida.

cv_360

Na foto (de Brenno Domingues/São José Futsal/Manguaça FS), Leandrinho faz um passe marcado por Felipe Reis.