Um fenômeno climático vai definir a programação da seleção brasileira nos Estados Unidos, onde fará os dois primeiros amistosos depois da conquista da Copa América. O avanço do furacão Dorian, que deve passar ao norte de Miami, onde o time comandado pelo técnico Tite passará a semana para enfrentar a Colômbia na sexta-feira, já causou os primeiros obstáculos com o cancelamento de treinamentos na Universidade Barry de segunda até quarta-feira.

Neste domingo, toda a comissão técnica se reuniu já em Miami para discutir os próximos passos da seleção. Para esta data Fifa, o grupo conta com alguns personagens novos na equipe como o coordenador de seleções, Juninho Paulista, e o auxiliar-técnico pontual, César Sampaio. Junto com Tite, eles discutiram a possibilidade de a equipe treinar até mesmo em Washington ou Houston e voltar para a Flórida apenas no dia de enfrentar a Colômbia.

Apesar dos alertas sobre a chegada do furacão Dorian, quatro jogadores eram esperados no hotel da seleção brasileira no final da noite deste domingo. São eles o zagueiro Thiago Silva, do Paris Saint-Germain, o goleiro Ederson, do Manchester City, e o meia Fabinho e o atacante Roberto Firmino, do Liverpool.

A maioria do grupo, que conta com jogadores que atuam no Brasil, chega durante a segunda-feira. Entre eles Neymar, que deve mesmo permanecer no Paris Saint-Germain após insucessos nas negociações com o Barcelona. Ele é aguardado antes do almoço no hotel em Miami.

Brasil e Colômbia se enfrentam no Hard Rock Stadium nesta sexta-feira, às 21h30 (de Brasília). Depois deste amistoso, a seleção segue rumo a Los Angeles, na Califórnia, onde jogará contra o Peru, no dia 10, no estádio LA Coliseum. A equipe de Tite ainda joga mais quatro amistosos até o final deste ano - dois em outubro e mais dois em novembro.