A presidente da Croácia, Kolinda Grabar-Kitarovic, aproveitou reunião da Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte), em Bruxelas, na Bélgica, para presentear a primeira-ministra britânica, Theresa May, e o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, com camisas da seleção croata, que se classificou pela primeira vez na história à final da Copa do Mundo após bater a Inglaterra por 2 a 1 nesta quarta-feira, em Moscou.

A própria presidente postou no Twitter as suas fotos com Theresa May e Donald Trump. O presidente dos Estados Unidos recebeu uma camisa com estampa em xadrez vermelho e branco com o número 9 e o seu nome às costas. A primeira-ministra da Grã Bretanha ganhou a camisa com o número 10.

Kolinda Grabar-Kitarovic ganhou destaque na Copa do Mundo após ir ao vestiário celebrar com os jogadores a classificação para as semifinais. O ato, no entanto, não foi bem aceito por muitas pessoas em seu país. Ele foi criticado por passar a impressão de que ela tentou se beneficiar do bom momento da seleção para fazer campanha eleitoral.

Mas o problema maior foi justamente a sua idolatria por Luka Modric, camisa 10 e capitão da seleção. Em 2017, o meia foi denunciado por perjúrio por ter, supostamente, mentido para favorecer Zdravko Mamic, ex-diretor do Dínamo Zagreb, condenado a seis anos e meio de prisão por evasão fiscal e peculato. De acordo com o jornal inglês The Guardian, Mamic é amigo da presidente e ajudou a financiar a campanha para ela ser eleita presidente. O ex-dirigente foi considerado culpado por ter lucrado 15 milhões de euros com as vendas de Modric para o Tottenham e do zagueiro Dejan Lovren para o Liverpool.