A quinta edição do L’Étape Brasil by Le Tour de France foi realizada neste último domingo (29), em Campos do Jordão, com mais de 2.400 atletas amadores de todos os estados do país.

A prova de ciclismo de estrada teve um dos percursos mais desafiadores da história com 107 quilômetros e 2.330 metros de altimetria acumulada, o equivalente a subir um prédio residencial de 770 andares.

O título de 2019 ficou mais uma vez com o ciclista Otávio Bulgarelli, com a marca de 3h07min02s20.

O resultado foi definido praticamente no photo-finsish, na disputa com Ricardo Pichetta, segundo colocado, colado na linha de chegada.

No feminino, a alemã Nadine Gill não deu chances às adversárias e completou o percurso de 107 quilômetros em 3h15min36, com mais de 15 minutos na frente segunda colocada, Taise Benato. A ciclista amadora também foi bicampeã consecutiva da prova.

”O L’Étape está muito mais competitivo! A régua está cada vez mais alta. Nós já tivemos alguns anos assim de chegada de photo-finish . No terceiro ano também foi assim. Esse é o L’Étape, cada dia mais duro e mais desejado”, disse o medalhista olímpico Bruno Prada, organizador do evento.

O evento é chancelado pelo Tour de France, maior e mais tradicional competição de ciclismo do mundo e atraiu grandes nomes do esportes, como o treinador Bernardinho Rezende, o campeão olímpico Nalbert e o piloto Ricardo Maurício da Stock Car.

”Espero voltar no ano que vem. Mas primeiro tenho que me recuperar dessa. Mas com certeza irei voltar. Parabéns pela organização incrível. Tempo ajudou demais. Obrigado L’Étape”, comemorou Bernardinho Rezende, que pedalou 66 quilômetros.

A organização do L’Étape Brasil by Tour de France confirmou a abertura das inscrições para a edição 2020 da prova com descontos especiais para quem realizar nos primeiros diais. A prova será disputa no dia 27 de setembro de 2020 também em Campos do Jordão.

Bicampeões

A largada oficial foi dada pontual às 7h, com os termômetros marcando 12 graus. Já para a versão de 66 quilômetros, a buzina tocou às 8h30. O folclórico personagem Diabo do Tour, o alemão Didi Senft, interagiu com os participantes e também com o público do começo ao fim.

Os dois vencedores de 2018 entraram como favoritos mais uma vez e não decepcionaram! Otávio Bulgarelli e Nadine Gill adotaram as melhores estratégias e conseguiram repetir o resultado do ano passado.

No caso de Otávio Bulgarelli, a vitória do L’Étape veio praticamente no photo-finish, com milésimos de segundo de vantagem para Ricardo Pichetta.

O duelo entre os dois e o pelotão de elite começou desde as largadas e se intensificou nas subidas. Otávio Bulgarelli foi orientado pela companheira Érica na véspera a acelerar nos quilômetros finais para ficar com o bi! E deu certo.

”Emoção demais! Esse ano senti um pouco a pressão e a responsabilidade, já que é um evento gigante. Mas eu vim preparado, vim para ganhar. Mas em corrida qualquer detalhe você perde”, disse Otávio Bulgarelli.

”O percurso esse ano estava muito mais rápido, apesar do começo estar muito duro. Nós estávamos muito iguais na corrida e tive que tirar no sprint, que é um pouco loteria. Mas fiz o que estava treinando. Partida rápida e com potência”.

Otávio Bulgarelli e Nadine Gill ganharam o direito de disputar um L’Étape do Tour de France em outros países.

No feminino, a alemã Nadine Gill brilhou do começo ao fim na sua bicicleta de número 01. Colocou mais de 15 minutos para a segunda colocada e ficou com o bicampeonato. Além disso, a atleta ficou entre os top15.

”As subidas estão bem cansativas e complicadas também”, contou Nadine Gill. ”Hoje fiquei muito tempo pedalando sem ninguém. Estou muito feliz pelo resultado aqui”.

Os vencedores do Rei e Rainha da Montanha Oakley foram Felipe Fossati e Nadine Gill. Ambos receberam a tradicional camiseta polka dots (branca com bolinhas vermelhas). O prêmio é dado aos primeiros ciclistas de cada gênero que subiram mais rápido a última subida da prova.

Os ciclistas foram divididos em pelotões de acordo com o seu ritmo. Na prova menor, a organização colocou, pela primeira vez, um ‘pacer’ para ajudar os menos experientes a completar o tour.

Em 2019, as mulheres representaram mais de 20% do número de inscritos. 

Prova de 66 quilômetros

Na versão de 66 quilômetros, o vencedor do masculino foi Rafael Luiz de Oliveira seguido por Guilherme Couto e Fábio Bonaldi.

O jovem ciclista de Araraquara tem 18 anos e espera evoluir na carreira e virar profissional no futuro.

”É uma prova diferenciada, fora do normal. Mesmo sendo de 66 quilômetros, a prova foi muito forte e técnica. Estudei bastante o pelotão e consegui atacar na última serra pra ganhar”, afirmou Rafael Luiz de Oliveira.

Entre as mulheres, Mariana Mendes ficou com o título em Campos do Jordão (SP) com a marca de 2h07min59, com apenas centésimos de segundo para a segunda colocada (Priscila Julio). 

”Sensacional! Ganhei em 2017 em Cunha e agora aqui. Foi pesado, porque quando você ganha, vem no outro ano quase que com obrigação de vencer de novo. Foi duríssima a prova. Muita mulher boa, inclusive muitas amigas minhas. Estou muito feliz, nem acreditando”, comemorou Mariana Mendes.

Resultados

Prova 107 KM – Feminino

1º – Nadine Gil – 3h15min36

2º – Taise Benato – 3h34min28

3º – Cristiane Silva – 3h37min08

Prova 107 KM – Masculino

1º – Otavio Bulgarelli – 3h07min02s20

2º – Ricardo Pichetta – 3h07min02s24

3º – Daniel Mendes – 3h07min02s47

Prova 66 KM – Feminino

1º – Mariana Mendes

2º – Priscila Julio

3º – Marta Lima

Prova 66 KM – Masculino

1º – Rafael Oliveira

2º – Guilherme Couto

3º – Fábio Bonaldi